Dica: Vacina Febre Amarela – Tudo o que você precisa saber

Dica: Vacina Febre Amarela – Tudo o que você precisa saber

Começou a planejar o seu intercâmbio e descobriu que o país que você deseja viajar exige a vacina contra a febre amarela? Não se preocupe! Estamos aqui para ajudar com as dúvidas.

Hoje os países que pedem a vacinação de seus viajantes são: Africa do Sul, Austrália e Malta.

Então já sabe, né? Se vai fazer intercâmbio para um desses países, a vacina contra a febre amarela é obrigatória e você deve toma-la 10 dias antes da sua viagem! 🗓

A Febre amarela é uma doença viral aguda causada pelo vírus da febre amarela. Na maior parte dos casos, os sintomas incluem febre, calafrios, perda de apetite, náuseas, dores de cabeça e dores musculares, principalmente nas costas. O vírus da febre amarela é transmitido pela picada de um mosquito fêmea infetado.

Para que você faça o seu embarque sem problemas, você deve tomar a vacina e emitir a seu Certificado Internacional de Vacinação.

O Certificado Internacional de Vacinação ou Profilaxia – CIVP é um documento que comprova a vacinação contra doenças, conforme definido no Regulamento Sanitário Internacional. A lista completa com os países que exigem o Certificado está disponível no site da Organização Mundial de Saúde.

Para que o intercambista possa obter o Certificado é necessário seguir os passos abaixo:

1º Passo – Tomar a vacina exigida. 

O interessado pode obter a vacina gratuitamente em um posto de saúde do SUS ou deve procurar os serviços de vacinação privados credenciados, neste link você encontra a lista completa dos locais.

E não esqueça, a vacina contra febre amarela deve ser tomada com antecedência de, no mínimo, 10 (dez) dias antes da viagem. 😋

2º Passo – Realizar o pré-cadastro no CIVNET.

Para agilizar a emissão do Certificado, o interessado deve realizar um pré-cadastro no endereço https://viajante.anvisa.gov.br, clicar na opção “cadastrar viajante”.

Observação: Para utilizar o agendamento do sistema CIVNET, o viajante deverá realizar o pré-cadastro. Nas unidades emissoras onde o agendamento está disponível, o pré-cadastro é obrigatório.

3ª Passo – Comparecer ao estabelecimento que emitirá o CIVP.

Para a emissão do CIVP, é imprescindível a presença física do interessado uma vez que a emissão está condicionada à assinatura do viajante, conforme previsto na RDC nº 21 de 31/03/2008, inciso III do Art. 1º do Anexo II.

Recomenda-se entrar em contato diretamente com a unidade emissora mais próxima para saber precisamente seu horário e sua forma de funcionamento.

4ª Passo – Apresentar a documentação necessária para emissão do CIVP

O interessado deve apresentar o cartão nacional de vacinação e um documento com foto.

O cartão deve estar preenchido corretamente com a data de administração, fabricante e lote completo da vacina, assinatura do profissional que realizou a aplicação e identificação da unidade de saúde onde ocorreu a aplicação da vacina.

São aceitos como documentos de identidade a Carteira de Identidade (RG), o Passaporte, a Carteira de Motorista válida (CNH), entre outros documentos. A apresentação da certidão de nascimento é aceita para menores de 18 (dezoito) anos.

É recomendável apresentar um documento de identificação com validade prolongada, visto que o número do documento será incluído no CIVP, como, por exemplo, a carteira de identidade (RG).

Criança/adolescente menor de 18 anos

Os pais ou tutores legais de menores de idade podem solicitar a emissão para seus filhos ou tutelados, apresentando documentação que comprove esse vínculo e, obviamente, a vacinação do menor (Cartão Nacional de Vacinação).

Nesse caso, o pai, mãe ou tutor assinará o CIVP pelo menor, por isso recomendamos que seja o mesmo que assinou o passaporte do menor de idade.

Facinho né? A emissão é super simples e também muito necessária.

Quer saber mais sobre os destinos deste post? Fale com a Dual e solicite um orçamento.

Até mais,

Leticia da Dual Travel

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *